Por Equipe Neticom
Em 29/08/2019
Como escolher adequadamente uma paleta de cores para seus projetos?

É inegável que as cores podem evocar diferentes sentimentos e reações nas pessoas. E quem conhece o poder que elas tem, consegue usá-las à seu favor em diversos aspectos da vida, inclusive no que diz respeito às vendas. Assim, elas têm sido utilizadas intencionalmente há diversos anos, sem que você sequer tenha notado isso.

Por isso, vamos falar um pouco mais sobre como a combinação de cores pode trabalhar à favor de seu projeto, com base na Teoria das Cores.

O que é a Teoria das Cores?

A teoria das Cores é o nome dado ao estudo realizado sobre as cores, que engloba desde a forma como elas são interpretadas pelo nosso cérebro, até a maneira como são utilizadas e aplicadas na comunicação visual.

Por meio da teoria das cores é possível compreender como as cores agem nos seres humanos, e utilizar isso a favor da transmissão de uma mensagem.

Portanto, todos aqueles que atuam especialmente nas áreas relacionadas à comunicação precisam conhecer essa teoria para que seja possível trabalhar todo o potencial que as cores têm a oferecer.

O que é a cor?

A cor é algo intangível, uma vez que só é percebida pela nossa visão. Basicamente, é uma sensação que nossa visão consegue captar. Isso porque as cores são faixas de ondas, cujo seu comprimento é o que define sua coloração. Ou seja, determinado comprimento dessa faixa a faz ser vista como verde, já outro comprimento a permite que a enxerguemos azul, e assim por diante.

Então, como enxergamos algo em determinada cor? É simples> o que enxergamos é, na verdade, a cor que o objeto nos reflete. Assim, se vemos uma caneta azul, ela está recebendo todas as cores e as absorvendo, exceto a azul, que é a que nos é refletida.

As cores e seus significados

Determinadas cores, por conta dos sentimentos e sensações que provocam nos receptores, são diretamente associadas à especificidades que a psicologia das cores estuda. Podemos citar por exemplo:

Vermelho - tradicionalmente associado ao amor, intensidade, energia. Por isso comerciais de dia dos namorados abusam dessa coloração, bem como aqueles envolvendo automóveis.

Amarelo - cor usada quando se quer reforçar a ideia de alegria, atenção, intelecto. É uma cor atraente, mas ao mesmo tempo, deve ser usada com parcimônia, por ser bem cansativa para a visão.

Verde  - remete à sentimentos como frescor, segurança e crescimento. Justamente por isso empresas relacionadas à natureza, alimentos e hábitos saudáveis utilizando o verde em sua marca e campanhas.

Azul - transmite a sensação de estabilidade, confiança e serenidade. Por isso redes sociais como Facebook e Twitter utilizam a cor sem suas marcas.

Roxo - comumente associada a realiza, riqueza e feminilidade, tende a ser usado em marcas e produtos de luxo, ou voltados para o público feminino.

Preto - evoca sentimentos mais tristes como mal, dor, medo, melancolia, além de também trazer a mente a noite, ambientes de sobra e sujeira.

Cinza - essa cor costuma estar associada à tristeza, ao tédio, mas também à seriedade e sabedoria. Por isso é muito utilizada em ambientes de ciência, laboratórios, com máquinas e afins.

Branco - traz a ideia de paz, pureza, divindade, além de evocar situações como casamentos, batismos.

Como definir uma paleta de cores para meu projeto?

A utilização das cores é um dos principais elementos na criação de uma marca. Entender de fato o papel e a influência que a cor tem em seu projeto de marca é primordial para conseguir construir uma identidade forte e coerente.

Assim, é fundamental que possamos seguir algumas dicas antes de planejar quais cores farão parte de nosso projeto.

Crie uma paleta de cores consistente

Escolha cores que dizem respeito ao que sua marca/empresa/projeto pretende transmitir enquanto mensagem. Se atenha à estas cores em todo tipo de material que for produzir, para que seu projeto todo seja coerente.

Por exemplo: nada adianta definir o verde como sua cor “carro-chefe”, e investir em elementos laranjas nos textos e imagens divulgadas.

Além disso, também opte por cores e combinações que o farão se envolver com seu cliente, de forma que deixem bem claro para ele quem é você.

Estude seu público-alvo

Para construir uma paleta de cores realmente efetiva, você precisa entender quem são as pessoas que você pretende atingir. Assim, defina quem é seu público-alvo, quais seus gostos, costumes. Dessa forma, você poderá escolher melhor a cor que pretende utilizar, os sentimentos que quer extrair e principalmente,: qual o engajamento quer que aquele público tenha com sua marca.

Consolide sua imagem

A construção da paleta de cores de seu projeto deve ser algo que crie uma relação de confiança com o público. portanto, evite ficar alterando sua marca, suas cores utilizadas - isso causa descrédito e falta de confiança, além de não fidelizar os clientes. Portanto, tenha em mente bem definidos os propósitos da imagem de sua marca.

Assim, além de deixar bem claros os valores fundamentais de sua empresa/produto, você deixa bem clara qual é a sua personalidade. E cores bem escolhidas podem deixar bem sua marca muito bem destacada perante a concorrência.

Ferramentas online para criação de paleta de cores

Conheça agora 5 sites onde você pode testar, conhecer e experimentar diversas combinações de cores, para procurar quais são as mais adequadas para o seu projeto em desenvolvimento.

Adobe Color;

Khroma.co;

Color Hunt;

Culrs;

Coolors.

Agora, munido de todas essas dicas, você tem de tudo para dar toda a cor que seu projeto merece. Utilize com sabedoria os conhecimentos que você adquiriu, e passe a enxergar de maneira diferente todas as possibilidades que você tem agora.

Artigos Relacionados

Publicidade no Google AdWords
por Wilson R. Garcia em 31/05/2012
Publicidade no Google AdWords
Design e Funcionalidade
por Wilson R. Garcia em 24/03/2012
Design e Funcionalidade
Atualização no Algoritmo do Google valoriza ainda mais o conteúdo de qualidade.
por Wilson R. Garcia em 17/04/2017
Atualização no Algoritmo do Google valoriza ainda mais o conteúdo de qualidade.
O limite entre influência e plágio
por Wilson R. Garcia em 16/02/2012
O limite entre influência e plágio