Flash é o nome do icônico personagem da DC Comics que domina com habilidade seus superpoderes de força da aceleração. Seria ótimo, se não fosse trágico homenagear esse personagem com um “supersoftware” de animação supostamente ágil batizando-o com seu sagrado nome.

Espero que tenham percebido o sarcasmo, pois, quem já utilizou o Adobe Flash® vai saber que a relação com o super-herói não vai além do nome.

O software que já foi essencial para acessar alguns dos mais importantes sites da internet, hoje é evitado ao máximo. Muitos dizem que não entendem o porquê e que “do nada” as empresas começaram a criticar a plataforma, eu, particularmente acredito que esse descontentamento tenha se originado, principalmente nos desenvolvedores que buscavam novas formas de animação que fossem compatíveis com todos os dispositivos, que não travassem nossos computadores pela utilização abusiva de recursos de processamento e memória e que, principalmente fossem seguras.

Recordo-me que ainda no ano 2010, Steve Jobs, então CEO da Apple®, foi alvo de muitas críticas quando anunciou que os dispositivos produzidos por sua empresa não mais aceitariam aplicações em Flash, argumentando que a plataforma pertencia a uma era em que só usávamos computadores. Acertou de novo, porque os acessos à internet por meio de dispositivos móveis, superou os oriundos dos computadores, e são justamente os smartphones e tablets os que mais evitam esta tecnologia, por razões óbvias de desempenho.

Ladeira abaixo para o Flash

O fato é que já faz algum tempo que o Flash vem descendo a ladeira, e finalmente, há uma semana a Adobe® anunciou o que parece ser o último suspiro do programa. A intenção é incentivar os desenvolvedores e criadores de conteúdo a utilizar cada vez mais os novos padrões da web, como o HTML5. Por isso, a partir de 2016 o moribundo Abobe Flash® passa a adotar o nome  Animate CC®.

Não se preocupe, se você ainda tem arquivos do antigo Flash® para editar, o Animate CC® não vai te abandonar, ele oferecerá suporte para extensões .swf, porém a intenção é valorizar a capacidade de exportar animações em HTML5, WebGL e vídeo 4K

Agora, com essa mudança o Adobe Animate CC® torna-se solução para criação de interatividade, seguindo padrões de publicidade do IAB, e ainda como ferramenta de grandes estúdios de animação.

Cabe a nós, profissionais criadores de conteúdo, programadores, designers e animadores, colaborar para o sucesso dessa nova ferramenta, vamos deixar o Flash de lado e caminhar na velocidade do HTML5.